search
top

Ficar firme até o fim (Mt 10,16-23)

Instruções para a oração:
  - Procure fazer silêncio interior e exterior e leia calmamente a passagem (mais de uma vez se for preciso).
  - Pergunte ao Senhor, o que Ele quer lhe dizer através deste texto.
  - Tente perceber qual é o trecho que chama mais sua atenção, que lhe toca mais e detenha-se nele para descobrir o chamado que Deus lhe faz.
  - As perguntas são para colaborar para que a oração seja diálogo com Jesus. Use-as, se achar que podem realmente lhe ajudar.
  - Agradeça a Deus por tudo o que tem lhe dado e peça forças para ser fiel ao que hoje Ele lhe falou ao coração.

— Escutem! Eu estou mandando vocês como ovelhas para o meio de lobos. Sejam espertos como as cobras e sem maldade como as pombas. Tenham cuidado, pois vocês serão presos, e levados ao tribunal, e serão chicoteados nas sinagogas. Por serem meus seguidores, vocês serão levados aos governadores e reis para serem julgados e falarão a eles e aos não judeus sobre o evangelho. Quando levarem vocês para serem julgados, não fiquem preocupados com o que deverão dizer ou como irão falar. Quando chegar o momento, Deus dará a vocês o que devem falar. Porque as palavras que disserem não serão de vocês mesmos, mas virão do Espírito do Pai de vocês, que fala por meio de vocês.

— Muitos entregarão os seus próprios irmãos para serem mortos, e os pais entregarão os filhos. Os filhos ficarão contra os pais e os matarão. Todos odiarão vocês por serem meus seguidores. Mas quem ficar firme até o fim será salvo. Quando vocês forem perseguidos numa cidade, fujam para outra. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: vocês não acabarão o seu trabalho em todas as cidades de Israel antes que venha o Filho do Homem.

 

Espírito Santo, doador de todos os dons, conduza-me na oração, instruindo-me na verdade e dando-me a coragem para assumir em minha vida o que a oração me revelar.

Jesus, o Senhor parece não querer que ninguém aceite a missão que você está propondo. Como ir em frente com a previsão de um cenário tão conturbado? Por que aceitar uma missão sabendo que as dificuldades para cumpri-la são quase intransponíveis?

Todo aquele que se deixa seduzir pelo Senhor não consegue voltar atrás. Às vezes, pode fraquejar, mas voltar atrás é difícil, afinal, quem mais tem palavras de vida eterna? Depois de conhecê-lo, Senhor, o que pode ser mais importante que segui-lo?

Encontro-me, com frequência, neste dilema: nossa sociedade foi estruturada para consumir, dar valor às aparências e utilizar o tempo para acumular. No entanto, sua boa notícia diz que o Reino de Deus não é nada disso. Então, segui-lo e sair em missão para anunciar seu evangelho certamente incomodará muita gente.

Se o confronto é uma certeza, ensina-me, Senhor, a vivê-lo com a dignidade de filho e o carinho de irmão. Ensina-me a tratar a todos com a doçura do amor e a firmeza da fé. Ensina-me o desapego ao que é passageiro, para colocar minhas forças e atenção naquilo que não passa.

Entre tantas previsões difíceis para os que sairão em missão, há duas promessas consoladoras, que devem sempre estar presentes em nossa mente e coração.

Quando chegar o momento, Deus dará a vocês o que devem falar”.

A intimidade com a Palavra, sua oração diária e constante, confere ao discípulo missionário a identificação adequada para falar aquilo que Deus tem para dizer a cada momento da vida. A palavra certa brota da boca do missionário, contudo, apesar de ser algo maravilhoso, um milagre, não é mágico, pois Deus é Deus, e não um mágico. Deus dá o que falar àqueles que estão ligados a Ele, àqueles que estão conectados à fonte, àqueles que possuem a intimidade adequada com sua Palavra. E não é porque Deus quer castigar os que não estão ligados, mas, simplesmente, porque os desligados da fonte não conseguem compreender e transmitir o que Deus deseja.

O Salmo da liturgia de hoje também afirma isto, de uma maneira poética e muito bonita: “que a sua felicidade esteja no Senhor! Ele lhe dará o que o seu coração deseja”.

Mas quem ficar firme até o fim será salvo”.

Para mim, essa é a pérola do texto de hoje. Nossa fé precisa nos fazer firmes até o fim. Porém, firmes em quê? Firmes no amor. Para isso, é necessário que consigamos continuar amando, querendo o bem do próximo, mesmo que inúmeras situações nos sejam adversas. Acho muito bonito o que São Paulo diz: “Quem ama nunca desiste, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência” ou, dependendo das traduções, “(o amor) tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”  (1Co 13, 7). Aqui, mais uma vez, será necessário estarmos ligados à fonte. A depender somente de nós, será impossível alcançar essa graça.

Portanto, hoje Jesus está falando a todos que se mantêm fiéis à oração diária e constante, a todos que se mantêm ligados ao tronco da videira: podem ir anunciar a boa nova, pois vocês estão aptos e saberão suportar os contratempos.

Senhor, permaneça sempre conosco e nos ajude a permanecer com você, para alcançarmos a graça de um amor que não desiste nunca. Amém!

***

João Batista Pereira Ferreira – Família Missionária Verbum Dei – Belo Horizonte

One Response to “Ficar firme até o fim (Mt 10,16-23)”

  1. GUACIRA SILVA DE LIMA disse:

    Amém!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

top