search
top

João 20,11-18

Instruções para a oração:
  - Procure fazer silêncio interior e exterior e leia calmamente a passagem (mais de uma vez se for preciso).
  - Pergunte ao Senhor, o que Ele quer lhe dizer através deste texto.
  - Tente perceber qual é o trecho que chama mais sua atenção, que lhe toca mais e detenha-se nele para descobrir o chamado que Deus lhe faz.
  - As perguntas são para colaborar para que a oração seja diálogo com Jesus. Use-as, se achar que podem realmente lhe ajudar.
  - Agradeça a Deus por tudo o que tem lhe dado e peça forças para ser fiel ao que hoje Ele lhe falou ao coração.

PALAVRA: João 20,11-18

Maria Madalena tinha ficado perto da entrada do túmulo, chorando. Enquanto chorava, ela se abaixou, olhou para dentro e viu dois anjos vestidos de branco, sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus. Um estava na cabeceira, e o outro, nos pés. Os anjos perguntaram:

— Mulher, por que você está chorando?

Ela respondeu:

— Levaram embora o meu Senhor, e eu não sei onde o puseram!

Depois de dizer isso, ela virou para trás e viu Jesus ali de pé, mas não o reconheceu. Então Jesus perguntou:

— Mulher, por que você está chorando? Quem é que você está procurando?

Ela pensou que ele era o jardineiro e por isso respondeu:

— Se o senhor o tirou daqui, diga onde o colocou, e eu irei buscá-lo.

— Maria! — disse Jesus.

Ela virou e respondeu em hebraico:

— “Rabôni!” (Esta palavra quer dizer “Mestre”)

Jesus disse:

— Não me segure, pois ainda não subi para o meu Pai. Vá se encontrar com os meus irmãos e diga a eles que eu vou subir para aquele que é o meu Pai e o Pai deles, o meu Deus e o Deus deles.

Então Maria Madalena foi e disse aos discípulos de Jesus:

— Eu vi o Senhor!

E contou o que Jesus lhe tinha dito.

MEDITAÇÃO

A tristeza tomou conta do coração de Maria Madalena. Não bastava que ela tivesse presenciado bem de perto toda a covardia que fizeram àquele que lhe sempre tinha sido puro amor, mas agora havia a preocupação com o corpo que já não pertencia ao túmulo. O choro embaçava a cena dos anjos delimitando onde começava e onde terminava aquilo que deveria ter sobrado do mestre. Perguntaram-na sobre o motivo das lágrimas. E ela respondeu que chorava porque haviam roubado o corpo do Senhor. Então o próprio Senhor pôs-se diante dela e repetiu a pergunta dos anjos, indagando o motivo do choro. Angustiada, não percebeu a sutileza da pergunta daquele homem, que lhe perguntava sobre as lágrimas sabendo que elas tinham direção: procurava alguém. Achou que talvez fosse um jardineiro, e então tivesse mudado o corpo de lugar. A mulher não foi capaz de identificar aquele por quem procurava aos prantos, até que este lhe revelasse íntimo: Maria!

Jesus fez-se reconhecer pelos discípulos ao exibir as suas feridas de morte (João 20,20) e ao realizar milagre com os peixes (João 21,6-7). Revelou-se aos dois de Emaús porque abençoou e repartiu o pão com eles (Lucas 24,30-31). Com Maria, entretanto, nenhuma manifestação sobrenatural foi capaz de sensibilizá-la. Nenhuma ferida de morte, nenhum milagre ou bênção foram capazes de clarear seus olhos ao ressuscitado. Ela somente se virou para encontrar o mestre depois de identificá-lo pela forma como lhe chamava: Maria!

Imaginemos todo o amor que estava contido naquele chamado. Contemplemos toda a história que compunha aquele contato. Para Maria, aquela voz era carinho, ternura e compaixão. Para Jesus, aquela não era uma mulher que procurava um corpo desaparecido; para o Senhor, aquela que chorava lhe era Maria, de tantas superações e intimidade, aquela que se dispôs a segui-lo até o fim. Portanto o chamado de Jesus foi como um gatilho à fé de Maria. A voz que identificava o Senhor merecia uma resposta pronta: Rabbuni! Meu mestre e meu Deus!

QUESTIONAMENTO

Como o Cristo ressuscitado se revela a mim hoje? Tenho sido capaz de ouvir os momentos em que Jesus me chama pelo nome? Quando Ele me chama pelo nome, como me parece a sua voz?

ORAÇÃO

Senhor Jesus, meu mestre e meu tudo, eu te peço: não deixe que as tristezas deste mundo me façam surdo à sua voz! As lágrimas que por ventura caírem de meus olhos não me deixem de visão embaçada por muito tempo; elas sirvam para clarear os meus olhos àquilo que devo enxergar melhor e que está bem perto de mim, em minha volta.

PROPOSTA DE AÇÃO

Buscarei rezar diariamente com a Palavra, porque ela me possibiliza conhecer melhor a voz de Jesus. Por meio dela, eu sei que teria cada dia maior intimidade com Ele.

Marcelo H. Camargos – Família Missionária Verbum Dei de Belo Horizonte/MG

3 Responses to “João 20,11-18”

  1. Desejo ficar mais intimo do senhor, por meio da sua palavra.

    • João Otávio Conegundes de Souza disse:

      Através da palavra Jesus fala diretamente em nossos corações. Devemos estar atentos aos detalhes pois, creio Jesus nos fala também através de varias situações no nosso cotidiano. Não nos esqueçamos: ” Olhai e vigia”. A leitura diaria das pslavras de Jesus noz prepara para melhor entendermos os sinais que a todo momento se manifestam

  2. Audry Santos disse:

    A cena do Evangelho é belíssima e o texto me ajudou a contemplar e rezar.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

top