search
top

“ A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos.”

Instruções para a oração:
  - Procure fazer silêncio interior e exterior e leia calmamente a passagem (mais de uma vez se for preciso).
  - Pergunte ao Senhor, o que Ele quer lhe dizer através deste texto.
  - Tente perceber qual é o trecho que chama mais sua atenção, que lhe toca mais e detenha-se nele para descobrir o chamado que Deus lhe faz.
  - As perguntas são para colaborar para que a oração seja diálogo com Jesus. Use-as, se achar que podem realmente lhe ajudar.
  - Agradeça a Deus por tudo o que tem lhe dado e peça forças para ser fiel ao que hoje Ele lhe falou ao coração.

Leitura: Mateus 9, 32-38

Naquele tempo: Apresentaram a Jesus um homem mudo, que estava possuído pelo demônio. Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar. As multidões ficaram admiradas e diziam: “Nunca se viu coisa igual em Israel.” Os fariseus, porém, diziam: “É pelo chefe dos demônios que ele expulsa os demônios.” Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino, e curando todo tipo de doença e enfermidade. Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: “ A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi pois ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!”

Palavra da Salvação

ORAÇÃO

 A leitura de Mateus nos convida a refletir sobre as várias formas de aproximação que Cristo nos propõe.

 “Apresentaram a Jesus um homem mudo, que estava possuído pelo demônio. Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar.”

 Podemos nos perguntar,  diante desta passagem, o que nos faz mudos diante das várias situações que se apresentam em nossa vida… O que nos torna confusos e não nos permite agir, fazendo-nos silenciar diante de fatos que podem até mesmo comprometer nossos direitos e nossa dignidade?

 Jesus demonstra a profundidade do seu amor e do seu cuidado para conosco. Ele nos liberta do demônio, do diabólico, do que nos divide e nos torna confusos. E só quando estamos livres dos nossos conflitos, das nossas confusões e das nossas dificuldades de escolha é que podemos falar, nos posicionar, nos manifestar.

 Este é o primeiro convite que esta passagem nos faz: que nos libertemos, que mudemos de posição, que nos fortaleçamos em nossas escolhas e que elas sejam inspiradas pelo Santo Espírito de Deus.

 Os fariseus, porém, diziam: “É pelo chefe dos demônios que ele expulsa os demônios.”

 Impressiona pensar na nossa condição humana, tão fácil de se confundir, tão frágil nas suas convicções e crenças ao ponto de, diante da generosidade de Cristo em nos permitir falar, em nos libertar do mutismo, em nos conceder a palavra, ainda não consigamos identificá-Lo como responsável pela nossa libertação, atribuindo o mérito a outras pessoas ou coisas que se oferecem o tempo todo para nós como a solução dos nossos problemas…

 “Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor.”

 Tem-se tornado frequente nos nossos dias perguntar por que o tempo passa tão rápido, por que nos sentimos sempre tão cansados, por que fazemos tanta coisa e nem sempre nos sentimos realizados com nossas ações…

 Imagino que Jesus perceba, nestes nossos questionamentos diários, uma vez mais nossa confusão e nossa falta de discernimento. E ainda assim Ele  se compadece de nós infinitas vezes, por entender que o que nos abate e cansa é o fato de vivermos como ovelhas sem pastor. Isso nos faz ficar sem rumo, gastando nosso tempo e nossa energia em investimentos que não nos trazem resultados satisfatórios, que não são  capazes de nos deixar alegres e realizados em nossas vidas.

 “Então disse a seus discípulos: “ A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi pois ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!”

 E Jesus nos aconselha que peçamos ao Pai de amor e de bondade que envie trabalhadores para a Sua colheita. Que Ele chame pelo nome aqueles que podem contribuir com a colheita, que podem ser instrumentos do Seu amor neste mundo tão perdido e desolado.

 E desta forma, façamos nossa oração ao Pai colocando em suas mãos a nossa disposição de também contribuir para construção do Seu Reino, de também sermos operários para a Sua messe.

Maria Luzia de Moraes Fonseca, Família Verbum Dei, Belo Horizonte

4 Responses to ““ A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos.””

  1. Amanda disse:

    Senhor, preciso confiar nas suas promessas para a minha vida. Me ajuda Senhor. Eu creio, mas aumentai a minha fé.

  2. Maria de Fátima disse:

    Muito linda e verdadeira a reflexão. Gostei demais. Que o Senhor nos ajude nesta caminhada rumo ao céu. Boa noite! Deus abençoe!!

  3. Fabiana disse:

    Que o Senhor Jesus sempre me devolva a voz quando eu a perder por algum motivo. E que ele me faça trabalhar em sua colheita. Amém!

  4. Jesus sempre está nos convidando a fazer essa profunda experiência de fé, amor através de um verdadeiro seguimento nos tornando também discípulos e missionários se doando na construção do vosso reino…

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

top