search
top

Santos Inocentes (Mt 2,13-18)

Instruções para a oração:
  - Procure fazer silêncio interior e exterior e leia calmamente a passagem (mais de uma vez se for preciso).
  - Pergunte ao Senhor, o que Ele quer lhe dizer através deste texto.
  - Tente perceber qual é o trecho que chama mais sua atenção, que lhe toca mais e detenha-se nele para descobrir o chamado que Deus lhe faz.
  - As perguntas são para colaborar para que a oração seja diálogo com Jesus. Use-as, se achar que podem realmente lhe ajudar.
  - Agradeça a Deus por tudo o que tem lhe dado e peça forças para ser fiel ao que hoje Ele lhe falou ao coração.

Depois que os visitantes foram embora, um anjo do Senhor apareceu num sonho a José e disse:

— Levante-se, pegue a criança e a sua mãe e fuja para o Egito. Fiquem lá até eu avisar, pois Herodes está procurando a criança para matá-la.

Então José se levantou no meio da noite, pegou a criança e a sua mãe e fugiu para o Egito. E eles ficaram lá até a morte de Herodes. Isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor tinha dito por meio do profeta: “Eu chamei o meu filho, que estava na terra do Egito.”

Quando Herodes viu que os visitantes do Oriente o haviam enganado, ficou com muita raiva e mandou matar, em Belém e nas suas vizinhanças, todos os meninos de menos de dois anos. Ele fez isso de acordo com a informação que havia recebido sobre o tempo em que a estrela havia aparecido. Assim se cumpriu o que o profeta Jeremias tinha dito:

“Ouviu-se um som em Ramá,

o som de um choro amargo.

Era Raquel chorando pelos seus filhos;

ela não quis ser consolada,

pois todos estavam mortos.”

Espírito Santo, doador da fé, sustentação do nosso amor e consolação de nossas aflições, seja nosso guia neste momento em que nos colocamos em oração, iluminando-nos e nos ensinando.

Este relato do evangelho é chocante! Ele tem o poder de nos deixar estarrecidos. Como pode um homem ser tão apegado ao poder e agir com tanta frieza? Como pode um homem não possuir nenhuma consideração para com tantos inocentes, principalmente em se tratando de crianças tão novinhas?

Custamos a crer que possa existir um homem assim!

Há poucos dias, celebramos o Natal. Também nos é difícil crer em um Deus que se faz criança, um bebê, totalmente frágil e dependente. Não somente uma criança, mas uma criança nascida e colocada numa manjedoura, quase que sem nenhuma proteção, a não ser dos cuidados de seus zelosos pais.

De um lado, o amor total, entregando-se até às últimas consequências, gerando vida. Do outro lado, o que realmente é contrário ao amor: o poder, impondo-se até às últimas consequências, provocando mortes.

Acredito que ninguém que está lendo este texto tenha a loucura de Herodes e nem a loucura de Deus. Mas estamos aí, entre esses dois opostos, ora buscando o amor e querendo nos entregar por Ele, ora sendo consumidos pelo exercício do poder, querendo impor algo a alguém. De um lado, está a vida, do outro, está a morte.

Por certo, devemos nos proteger, necessitamos manter nossa dignidade, nossa condição de sustento, de moradia, de educação e tudo aquilo que é necessário ao nosso desenvolvimento humano e espiritual. Os sábios, visitantes do Oriente, perceberam a manobra de Herodes e foram embora sem nada lhe falar. Não compactuaram com os planos do rei. Mantiveram-se íntegros. José, sempre atento à voz de Deus, fugiu para o Egito, protegendo o menino Jesus e Maria. Manteve-se fiel ao plano de Deus.

Nós estamos no mundo e precisamos ficar atentos, escutando atentamente a voz de Deus a nos guiar, não compactuando com projetos de sustentação do poder a qualquer custo.

É muito doloroso perceber que inocentes pagam a conta da disputa pelo poder. Às vezes, só nos resta rezar, para que Deus dê a eles o conforto, pois não podemos fazer nada. Outras vezes, percebemos que, de alguma forma, contribuímos para este mal e, então, cabe a nós o arrependimento sincero e o pedido de perdão. Deus sempre perdoa. Inúmeras outras vezes, sentimos-nos omissos. Às vezes, sem saber como agir ou covardemente acomodados. A oração com a Palavra é um caminho para encontrar a luz de como agir e o incentivo para sairmos da acomodação.

Hoje, em nossa oração, podemos trazer os casos de inocentes, principalmente crianças, que sofrem por causa de uma sociedade que ainda não consegue estabelecer uma paz que traga segurança e bem estar social a todas as pessoas. Coloquemos essas vítimas diante de Deus e peçamos por elas e também por nós, para que sejamos tocados a trabalhar, da maneira que for possível, no bairro, na escola ou na comunidade em que vivemos, de tal forma a construir uma sociedade mais justa, humana e fraterna.

Trago, para minha oração, o menino Marcos Vinícius da Silva, de 14 anos que, em junho deste ano, foi assassinado durante uma operação policial no Complexo de Favelas da Maré, no Rio de Janeiro e, antes de falecer, perguntou à sua mãe: “Ele não me viu com a roupa de escola?”.

Deus, em sua infinita misericórdia, receba o menino Marcos e todos os inocentes que têm sofrido e morrido no mundo, pela nossa incapacidade de viver o amor completo. Amém!

Despedida

Queridas leitoras e queridos leitores,

A atual equipe que escreve as orações deste site, de segunda-feira a sábado, encerra neste mês suas atividades de evangelização por aqui. Hoje, como estou postando meu último texto, gostaria de agradecer pelo tempo em que vocês nos acompanharam e nos incentivaram, às vezes com comentários e, tantas outras vezes, com orações. Apesar de não nos encontrarmos mais neste espaço, espero continuar unido a cada um de vocês, em oração e no profundo desejo de seguir as pegadas de amor deixadas por Jesus Cristo.

Que Deus nos abençoe a todos! Um forte e fraternal abraço.

 ***

João Batista Pereira Ferreira – Família Missionária Verbum Dei – Belo Horizonte

4 Responses to “Santos Inocentes (Mt 2,13-18)”

  1. João Paulo Salgado dos Reis disse:

    Gratidão profunda a toda equipe que durante esses ano trouxe com tanta espiritualidade a Palavra de Deus que tanto iluminou a vida diária. Através dessas reflexões me tornei um amante da Palavra de Deus, medicada todos os dias antes de para o trabalho. Grande abraço a todos. Que Deus os abençoe frutif
    ique a missão de vocês.

  2. Roberlei Alves Bertucci disse:

    Um grande obrigado a você, João Batista, e a toda a equipe. É uma riqueza imensa a partilha feita aqui e o crescimento que produz em todos os leitores. Com votos de um Santo 2019, com a Luz do Jesus Menino. Espero que logo retornem! E, claro, votos de amor e paz aos que virão a seguir! Que o Espírito Santo os inspire!

  3. Ivete Biral disse:

    Obrigada. Deus abençoe a fds.

  4. Laís Ferreira da Silva disse:

    Obrigada por tudo. Todos os textos me ajudaram profundamente em diversas partes da minha vida. Que Deus abençoe infinitamente vocês!!! Tenha um ótimo ano novo!

Deixe uma resposta para Roberlei Alves Bertucci Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

top