search
top

“Até nos lugares mais distantes do mundo todos viram a vitória do nosso Deus”.

Instruções para a oração:
  - Procure fazer silêncio interior e exterior e leia calmamente a passagem (mais de uma vez se for preciso).
  - Pergunte ao Senhor, o que Ele quer lhe dizer através deste texto.
  - Tente perceber qual é o trecho que chama mais sua atenção, que lhe toca mais e detenha-se nele para descobrir o chamado que Deus lhe faz.
  - As perguntas são para colaborar para que a oração seja diálogo com Jesus. Use-as, se achar que podem realmente lhe ajudar.
  - Agradeça a Deus por tudo o que tem lhe dado e peça forças para ser fiel ao que hoje Ele lhe falou ao coração.

PREPARAÇÃO ESPIRITUAL

 

Espírito Santo, manifesta-te uma vez mais.

Espírito Santo, dá-me um coração que escute.

Espírito Santo, unge-me com teu perfume inconfundível.

Espírito Santo, faze-me experimentar meu batismo

e envia-me a levar tua Palavra neste mês missionário.

Amém.

 

TEXTO BÍBLICO: Lc 17.11-19

Jesus cura dez leprosos

11Jesus continuava viajando para Jerusalém e passou entre as regiões da Samaria e da Galileia. 12Quando estava entrando num povoado, dez leprosos foram se encontrar com ele. Eles pararam de longe 13e gritaram:

— Jesus, Mestre, tenha pena de nós!

14Jesus os viu e disse:

— Vão e peçam aos sacerdotes que examinem vocês.

Quando iam pelo caminho, eles foram curados. 15E, quando um deles, que era samaritano, viu que estava curado, voltou louvando a Deus em voz alta. 16Ajoelhou-se aos pés de Jesus e lhe agradeceu. 17Jesus disse:

— Os homens que foram curados eram dez. Onde estão os outros nove? 18Por que somente este estrangeiro voltou para louvar a Deus?

19E Jesus disse a ele:

— Levante-se e vá. Você está curado porque teve fé.

 

1. LEITURA

Que diz o texto?

 

ü Algumas perguntas para ajudá-lo em uma leitura atenta…

 

1. Quem se aproxima de Jesus e por que ficam a certa distância?

2. O que estes homens pedem a Jesus?

3. Para onde Jesus os envia e o que lhes acontece no caminho?

4. O que faz um deles ao ver-se curado? De onde era originário?

5. O que Jesus pergunta e por quê? O que diz ao único que voltou?

 

ü Algumas pistas para compreender o texto:

 

Mons. Damian Nannini1

 

 

Jesus está a caminho de Jerusalém, e antes de entrar em um povoado, saem-lhe ao encontro dez leprosos. Estes ficam a distância e erguem a voz. Acontece que, segundo as leis do Antigo Testamento, o leproso era considerado impuro e devia viver fora da comunidade. Ainda mais, não devia aproximar-se de nenhum homem sadio por perigo de contágio. Ou seja, a enfermidade da lepra tinha uma dimensão ou consideração religiosa, a ponto de que ser leproso era sinal claro de ser um homem afastado de Deus e separado da comunidade de salvação.

O grito de ajuda dos leprosos – “Jesus, Mestre, tenha pena de nós!” – recorda a invocação dos salmos dirigida a Deus (por ex., Sl 41.4; 51.1).

A resposta de Jesus é um olhar compassivo e uma ordem: “Vão e peçam aos sacerdotes que examinem vocês.” Dá-se o caso que esta enfermidade, visto que provocava impureza cultual, tinha de ser diagnosticada pelo sacerdote. De igual modo, cabia aos sacerdotes confirmar a cura e permitir o ingresso na comunidade, declarando puro o leproso curado. Consequentemente, fica claro que a ordem de Jesus era que se apresentassem ao sacerdote para que certificasse a cura dos leprosos. Os dez põem-se a caminho, demonstrando ter fé na Palavra de Jesus. E, no caminho, ficam curados, “purificados”, os dez.

No entanto, dos dez, apenas um volta até Jesus; e somente este é declarado “salvo” por sua fé. Quanto aos outros nove, a fé inicial em Jesus os levou somente até obter a cura-purificação, mas não lhes alcançou a

salvação. Como bem diz F. Bovon: “Se a fé não for acompanhada pela gratidão, não é verdadeira fé. Continua ligada ao milagre, e não se eleva até à salvação”.

A observação de que o leproso curado era um samaritano serve para indicar a misericórdia de Deus que vai além da eleição de Israel, com uma abertura universalista.

O que o Senhor me diz no texto?

 

O evangelho do domingo passado nos convidava a pedir um aumento de fé, a fim de podermos crer mais e melhor. Hoje se nos mostra o processo da fé, suas etapas ou passo.

Os dez leprosos do evangelho se aproximam de Deus, por meio de Jesus, buscando uma graça, uma saída diante de uma situação dolorosa e desesperada que os marginaliza. O enfermo de lepra é o símbolo do homem separado de Deus (não pode prestar-lhe culto nem participar da assembleia religiosa) e segregado pelos homens (deve viver fora da cidade e não pode aproximar-se de ninguém sadio).

Todos creem na Palavra de Jesus, todos obedecem à ordem recebida e se colocam em marcha para ver o sacerdote. Isto é realmente um ato de fé. Um primeiro e importante ato de fé. E todos recebem a cura da parte de Deus. Obtêm o que haviam buscado e pedido. Os nove leprosos detiveram-se aqui. Somente foram curados, ao passo que apenas um teve plena consciência de que se tratava de um dom recebido: “…viu que estava curado”. Por isso, em seguida, faz meia-volta e louva a Deus, esquece-se um pouco de si e se volta para Deus, que teve compaixão dele. Isto é justamente o louvor. A este respeito, diz o Papa Francisco em sua homilia do dia 9 de outubro de 2016: “O Evangelho deste domingo convida-nos a reconhecer, com maravilha e gratidão, os dons de Deus. […] Como é importante saber agradecer, saber louvar por tudo aquilo que o Senhor faz por nós! Assim podemos perguntar-nos: somos capazes de dizer obrigado? Quantas vezes dizemos obrigado em família, na comunidade, na Igreja? Quantas vezes dizemos obrigado a quem nos ajuda, a quem está ao nosso lado, a quem nos acompanha na vida? Muitas vezes consideramos tudo como se nos fosse devido! E isto acontece também com Deus. É fácil ir ter com o Senhor para lhe pedir qualquer coisa, mas voltar para lhe agradecer… Por isso Jesus sublinha fortemente a falta dos nove leprosos ingratos”.

O leproso samaritano é imagem do crente completo, pois não somente foi curado, mas também salvo. Qual é a diferença? É que a salvação inclui a relação pessoal com Jesus e, por meio dele, com o Pai.

 

Continuemos nossa meditação com estas perguntas:

 

1. Já experimentei que o Senhor respondeu a um pedido que lhe fiz com muita fé e confiança?

2. Uma vez tendo recebido a graça, soube agradecer?

3. Reconheço as graças que cotidianamente Deus me concede?

4. Sou agradecido ao Senhor e o louvo por sua bondade para comigo?

5. Meu caminho de fé chega até à busca da comunhão com Jesus e ao louvor?

 

O que respondo ao Senhor que me fala no texto?

 

Obrigado, Jesus, por me curares.

Apresento-te uma de minhas lepras.

O que me marginaliza, marca-me e não me deixa ser.

Cura-me a mim também.

Que me esqueça de mim e te coloque no centro.

Que não considere como algo descontado; hoje também te digo:

Obrigado, Senhor.

Amém!

 

4. CONTEMPLAÇÃO

Como ponho em prática, em minha vida, os ensinamentos do texto?

“Jesus, ajuda-me a dar meia-volta e agradecer-te, sempre”.

 

5. AÇÃO

Com que me comprometo para demonstrar mudança?

Durante esta semana, proponho-me tornar mais consciente o agradecimento, dizendo “obrigado” olhando nos olhos.

 

“Em todas as coisas, observa a providência de Deus e sua sabedoria; em tudo, louva-o”.

Santa Teresa de Ávila

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

top