search
top

O Senhor dá uma ordem, e ela chega depressa aonde ele quer”.

Instruções para a oração:
  - Procure fazer silêncio interior e exterior e leia calmamente a passagem (mais de uma vez se for preciso).
  - Pergunte ao Senhor, o que Ele quer lhe dizer através deste texto.
  - Tente perceber qual é o trecho que chama mais sua atenção, que lhe toca mais e detenha-se nele para descobrir o chamado que Deus lhe faz.
  - As perguntas são para colaborar para que a oração seja diálogo com Jesus. Use-as, se achar que podem realmente lhe ajudar.
  - Agradeça a Deus por tudo o que tem lhe dado e peça forças para ser fiel ao que hoje Ele lhe falou ao coração.

PREPARAÇÃO ESPIRITUAL

Espírito Santo, vem e ilumina-me neste encontro com a Palavra.

Espírito Santo, vem e toca meu coração

para que eu possa receber o evangelho.

Espírito Santo, vem e leva-me a viver a Boa-Nova.

Amém.

TEXTO BÍBLICO: Jo 1.1-18

O dia e a hora

A Palavra da vida

1No começo aquele que é a Palavra já existia. Ele estava com Deus e era Deus. 2Desde o princípio, a Palavra estava com Deus. 3Por meio da Palavra, Deus fez todas as coisas, e nada do que existe foi feito sem ela. 4A Palavra era a fonte da vida, e essa vida trouxe a luz para todas as pessoas. 5A luz brilha na escuridão, e a escuridão não conseguiu apagá-la.

6Houve um homem chamado João, que foi enviado por Deus 7para falar a respeito da luz. Ele veio para que por meio dele todos pudessem ouvir a mensagem e crer nela. 8João não era a luz, mas veio para falar a respeito da luz, 9a luz verdadeira que veio ao mundo e ilumina todas as pessoas.

10A Palavra estava no mundo, e por meio dela Deus fez o mundo, mas o mundo não a conheceu. 11Aquele que é a Palavra veio para o seu próprio país, mas o seu povo não o recebeu. 12Porém alguns creram nele e o receberam, e a estes ele deu o direito de se tornarem filhos de Deus. 13Eles não se tornaram filhos de Deus pelos meios naturais, isto é, não nasceram como nascem os filhos de um pai humano; o próprio Deus é quem foi o Pai deles.

14A Palavra se tornou um ser humano e morou entre nós, cheia de amor e de verdade. E nós vimos a revelação da sua natureza divina, natureza que ele recebeu como Filho único do Pai.

15João disse o seguinte a respeito de Jesus:

— Este é aquele de quem eu disse: “Ele vem depois de mim, mas é mais importante do que eu, pois antes de eu nascer ele já existia.”

16Porque todos nós temos sido abençoados com as riquezas do seu amor, com bênçãos e mais bênçãos. 17A lei foi dada por meio de Moisés, mas o amor e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo. 18Ninguém nunca viu Deus. Somente o Filho único, que é Deus e está ao lado do Pai, foi quem nos mostrou quem é Deus.

 

1. LEITURA

Que diz o texto?

 

ü  Algumas perguntas para ajudá-lo em uma leitura atenta…

 

1. A quem o autor denomina “Palavra”, onde ela está e o que fez?

2. Que relação existe entre a Palavra, a Vida e a Luz?

3. O que diz a respeito de João Batista? Como o apresenta?

4. O que aconteceu à Palavra quando veio ao mundo?

5. Quem é a “Palavra que se tornou um ser humano” e qual tem sido sua missão?

 

 

 

ü  Algumas pistas para compreender o texto:

Mons. Damian Nannini[1]

 

O prólogo do evangelho de João está centrado no Verbo ou na Palavra (logos, em grego) que está junto de Deus, que é Deus e que veio aos homens. Descreve-nos a origem e a missão da Palavra.

A finalidade da obra da Palavra, sua missão, é tornar-nos filhos de Deus. Aos que creem em seu nome, ou seja, aos que recebem a Palavra, nãos lhes dá imediatamente o nome de filhos de Deus, mas o direito de “se tornarem” filhos de Deus. Com isto, indica-se que a aquisição da filiação divina é um “processo” que começa com o fato de Fé, mas que permanece sendo um dom do Pai. Justamente em 1.13, insiste-se em que não é o resultado de um processo natural: “Não nasceram como nascem os filhos de um pai humano”.

Em Jo 1.14, utiliza-se a palavra sarx, carne, para ressaltar que a Palavra assumiu o mais frágil da condição humana: a carne corruptível. O termo grego a que se recorre aqui para descrever a ação da Palavra pode ser traduzido como “morar em tenda” ou “armar uma tenda”. O pano de fundo desta expressão seria a tenda do encontro onde Deus foi morar, tal como se narra no final do Êxodo (40.34-35). Portanto, a carne/humanidade de Jesus Cristo é a tenda onde Deus se revela à humanidade, é o lugar do encontro entre Deus e a humanidade.

 

2. MEDITAÇÃO

O que o Senhor me diz no texto?

 

O tempo do Natal é um convite a celebrar a Presença de Jesus entre nós. Isto é o fundamental. Ele está conosco (Emanuel). Trata-se de tomar consciência da Presença deste mistério de Deus conosco no hoje de nosso tempo e de nossa vida. Necessitamos de uma fé viva a fim de vivermos em conformidade com sua Presença. É o que podemos esperar: que esteja conosco em nossas lutas, em nossas dificuldades, em nossas enfermidades, em nossos desalentos e fadigas. Não estamos jamais inteiramente sozinhos. Ele está conosco e sabe tornar-se presente se o buscarmos com fé na oração e nos sacramentos.

A este respeito, dizia o Papa Bento XVI: “Deus fez-Se homem, veio habitar no meio de nós. Deus não está longe: está perto, mais ainda, é o ‘Emanuel’, Deus-conosco. Não é um desconhecido: tem um rosto, o rosto de Jesus.

“Trata-se de uma mensagem sempre nova, que não cessa de surpreender, porque ultrapassa a nossa esperança mais ousada. Sobretudo porque não se trata apenas de um anúncio: é um acontecimento, um facto sucedido, que testemunhas credíveis viram, ouviram, tocaram na Pessoa de Jesus de Nazaré! Permanecendo com Ele, observando os seus atos e escutando as suas palavras, reconheceram em Jesus o Messias; e, ao vê-lo ressuscitado, depois que fora crucificado, tiveram a certeza de que ele, verdadeiro homem, era simultaneamente verdadeiro Deus, o Filho unigénito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade (cf. Jo 1, 14).

“’O Verbo fez-Se carne’. Fitando esta revelação, ressurge uma vez mais em nós a pergunta: como é possível? O Verbo e a carne são realidades opostas entre si; como pode a Palavra eterna e omnipotente tornar-se um homem frágil e mortal? Só há uma resposta possível: o Amor. Quem ama quer partilhar com o amado, quer estar-lhe unido, e a Sagrada Escritura apresenta-nos precisamente a grande história do amor de Deus pelo seu povo, com o ponto culminante em Jesus Cristo” (Mensagem de Bento XVI para o Natal – 25 de dezembro de 2010).

O tempo de Natal deve ajudar-nos a responder a esta maravilhosa revelação de Deus que o prólogo de João nos faz, a tornar vida em nós, pela fé, este princípio e fundamento; a receber o Verbo de Deus em nós. Como o diz muito bem o cardeal Martini: “João, quando diz: ‘o Verbo habitou entre nós’, diz já o que depois encontramos em seu evangelho. Que falta? Fatal que se dê a este Verbo, que habita entre nós, o lugar que lhe corresponde. Por isso, todo o evangelho é uma disciplina espiritual que nos convida a reconhecer as implicações que decorrem da presença do Verbo entre nós: que quer dizer ‘dar lugar ao Verbo entre nós’?”.

Deus falou-nos, ainda mais, fez-se homem para entrar em diálogo e em comunhão conosco. Nossa resposta a esta revelação pessoal de Deus é a .

 

Continuemos nossa meditação com estas perguntas:

 

1. Para mim, quem é o Menino que nasceu em Belém?

2. Descubro, confesso e adoro nele o Deus feito homem?

3. Recebo a Jesus-Palavra que vem a mim e me fala?

4. Deixo que Jesus, o Filho feito homem, me revele o Pai?

5. Permito que Jesus modele em mim um coração de filho de Deus?

 

3. ORAÇÃO

O que respondo ao Senhor que me fala no texto?

 

Obrigado, Jesus, por seres e estares conosco.

Dá-me a audácia de encontrar-te nas lutas, nas alegrias.

Que na oração, nos sacramentos e nos irmãos, eu te busque.

Quero ceder-te o lugar que te corresponde.

Faze com que não me distancie, mas que te experimente e te sinta próximo.

Quero ser humildade, mas simples e rebaixar-me, como tu.

Mesmo que isto me custe, sei que estás.

Amém.

4. CONTEMPLAÇÃO

Como ponho em prática, em minha vida, os ensinamentos do texto?

 

“Jesus, dá-me uma fé viva para experimentar tua presença conosco.

 

5. AÇÃO

Com que me comprometo para demonstrar mudança?

 

Durante esta semana, proponho-me fazer um ato de fé e acreditar em Jesus. Ele está comigo.

 

“Peçamos ao Senhor a graça de aproximar-nos mais, mais, mais de seu mistério, e de fazê-lo pelo caminho que ele quiser que percorramos: a senda da humildade, a senda da mansidão, a senda da pobreza, a senda de sentir-nos pecadores”.

Papa Francisco

 Dom Damián Nannini é bispo da Diocese de San Miguel (Argentina); licenciado em Sagrada Escritura pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma.

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

top